Até quando?

Desde de que consigo lembrar da chuvas de Março, ou do fim do verão, eu ouço falar em alagamento.

Independente dos partidos e políticos que já passaram pela Capital, da obras que foram feitas, sempre existe o transbordo dos rios represados em São Paulo.

Tirando as quimeras dos agoureiros de plantão venham soltar, este processo deve ser resultado de estudos e cálculos, com projeções futuras que já se cumpriram. As probabilidades e perspectivas de hoje são diferentes que a 50 anos atras já que a Marginal por exemplo foi inaugurada em 1957 e ampliada em 2010, mas mantendo o nível.

Todos sabemos que obras enterradas não dá voto. Mas nem por isso precisavam ter sido assim tão abandonadas.



Cada vez que pavimentamos uma região, diminuímos a absorção do solo, obrigando que ela escoe mais rápido para o curso do rio, que é o ponto mais baixo e dará escoamento.

Mas se ela não conseguir escoar, acontece o que vemos.

Por que os rios estão cheios de sujeira? Sim claro. Por que choveu demais em pouco tempo? Sem duvida.

Mas eu tenho a opinião que se preciso que algo aconteça e não posso controlar todas as peças envolvidas, tento garantir que na pior hipótese de cada uma, a coisa ainda aconteça.

Eu sei que a maioria dos políticos sempre fazem discursos positivos, otimistas, mas no meu cotidiano, em um dos trabalhos que desenvolvo, sempre pensamos na pior situação.


Qual é a pior situação neste caso das chuvas?

Mesmo educando o povo, ainda pode lançar material para obstruir o leito do rio. Mesmo analisando as equações de chuva, pode chover chover muito mais do que calculado. As pontes estão baixas atualmente e a via é facilmente inundada. mesmo fazendo barreiras.

Subir as pontes pode ser um trabalho muito demorado e custoso. Mas deve ser feito. O que eu poderia fazer?




Não sei os grandes especialistas, mas este palpiteiro rebaixaria o leito do rio, desde Salto/Itu ou mais adiante se não der caída para aumentar a seção de escoamento e evitar que a água suba tanto nas áreas urbanizadas. Claro que vai ter que rebaixar os efluentes também como o Tamanduateí, Pinheiros, e os outros pequenos.

Serviço sujo, feito por dragas, não tem charme para fazer inaugurações e provavelmente durante a execução muita reclamação de caminhões com material de mau cheiro circulando.

A não ser que seja mais fácil subir a cidade em geral, rebaixar o leito pode ser uma boa saída, penso eu.


Talvez seja uma tremenda besteira tudo dito acima, mas o que não dá pra suportar mais é todo ano essas inundações, gente perdendo o pouco que tem, e muitas vezes a vida. Não é esse governo atual, são todos os governos que já passaram por isso e parece que não se importam.

Pode ser que cada governante, cada secretário tenha sofrido junto com o povo em cada catástrofe, mas não parece. Dá a impressão que somos apenas um voto a cada 4 anos.




inicial.jpg
eneagrama.jpg
consultas.jpg
livros.jpg
curso.jpg
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now